quarta-feira, 6 de junho de 2012

Junho mês de festas juninas e boas comidinhas....Venha pro arraíá da Estel@





RECEITA DE AMENDOIM PRALINÉ (FESTA JUNINA)
 Microondas


Ingredientes

1/2kg de amendoim cru
1 1/2 xícara (chá) de açúcar
1/2 xícara (chá) de água 
2 colheres (sopa) de chocolate em pó
1 colher (chá) de fermento em pó

Modo de preparo

Em um refratário, coloque o 
amendoim, o açúcar, a água, o 
chocolate em pó, o fermento e
misture bem.
Leve ao microondas, em potência 
alta, por 12 minutos ou até derreter 
o açúcar, mexendo a cada 4 
minutos.
Retire, mexa e sirva.

Rendimento: 8 porções



domingo, 3 de junho de 2012

Sopas famosas na história...Alzira Miranda



Na Pré-História é provável que se comessem muitos caldos de carne

(mamute, bisonte, vaca), sopas de peixe e de
alguns crustáceos (mexilhões, por exemplo).
Na Grécia ficou famoso um "Caldo Negro" da cidade de Esparta, feito com
sangue de alguns animais misturado com vinagre e especiarias.
Não consta que fosse fácil de engolir.
Em Roma, a sopa era um prato apreciado por todas as classes.
O famosíssimo imperador Nero tinha o costume de, diariamente,
comer um caldo à base de alhos-porros que acreditava fazer-lhe muito bem
às cordas vocais (que tinham de estar sempre saudáveis para
discursar sem problemas).
Na Idade Média as sopas foram muito populares: de favas,
abóbora, ervilhas, couves, rábanos, toucinho... condimentadas com bastante
canela e gengibre e mais tarde com açúcar.
Era também costume colorir as sopas: açafrão para ficarem amarelas,
leite de amêndoas para ficarem brancas.
A partir do século XVI, as cozinhas italiana e francesa deram o seu
"toque de classe" à arte de preparar sopas.
A primeira introduziu a novidade das massas e ervas aromáticas como o tomilho,
os orégãos e a manjerona.
Em França, os cozinheiros davam o seu melhor: cremes, bouillons,
consommés... baptizando as suas invenções com nomes de reis.
Em Portugal temos a canja (que, segundo alguns especialistas,
terá vindo da Índia), o caldo verde (indispensável por causa santospopulares),
a sopa do cozido, as sopas de peixe (tão populares nos Açores e no Alentejo),
as sopas de feijão e hortaliça e tantas outras.
Na Espanha, o "gazpacho" (com tomate, pepino, alho, pão e azeite);
em França, a "soupe à l'oignon" (à base de cebola);
em Inglaterra, a "oxtail" (sopa de rabo de boi); em Itália, o "minestrone"
(feijão, massas e legumes); na China, a "sopa de ninhos de andorinha".
Os legumes perdem muitos dos seus nutrimentos quando são cozinhados.
A sopa tem a grande vantagem de não deixar "escapar" as vitaminas e
minerais retendo-os na água da cozedura.
A sopa tem ainda outras qualidades: é um prato económico, de fácil preparação,
pode tomar os mais diversos sabores e texturas e é rica
em nutrientesde grande valor. Assim sendo, aqui fica a sugestão:
é tempo de celebrar o Inverno com sopas portuguesas e de outras paragens.
Livros consultados: Histórias e Curiosidades Gastronômicase
Livro de Bem Comer, José Quitério, 




@Estela